Imágenes de páginas
PDF
EPUB

Mas tão curto espaço mostra,
Meu Deos, a tua bondade;
Para ganhar o Ceo basta,
E em breve cessa a maldade.

Avaliar é custoso
Do teu enfado a grandeza:
Quanto assusta a Divindade
Contra os réos em ira accesa!

Senhor, faze

que

entendamos Da tua dextra o poder ; Nossos corações illustra Com rectidão e saber.

Volta para nós teu rosto:
Té quando has de estar irado?
Sê propicio; lavaremos
Com pranto amargo o peccado.

Ao raiar do dia surja
Sobre nós tua piedade;
Alegres esperaremos
A ditosa eternidade.

Memorando nossas culpas Com saudavel penitencia, Provaremos consolados Fructos da tua indulgencia.

(12) Quoniam supervenil mansuetudo, et corripiemur.

(13) Quis novit potestatem iræ tuæ, et præ timore tuo iram tuam dinumerare?

(14) Dexteram tuam sic notam fac, et eruditos corde in sapientia.

(15) Converlere, Domine , usquequo: et deprecabilis esto super serros tuos,

(16) Repleti sumus mane misericordia tua, et exullavimus, et delectati surnus omnibus diebus nostris.

(17) Lætati sumus pro diebus, quibus nos humiliasti : annis, quibus vidimus mala.

(18) Respice in serdos tuos, et in opera tua, el dirige filios co

rum.

Volve sobre nós teus olhos, Lustra as tuas creaturas, Dirige os teus servos todos, Abre-lh' estradas seguras.

Brilhe a luz celeste, brilhe
Accesa nos corações;
Governa, ó Deos, nossos actos,
Apura nossas acções.

(19) El sit splendor Domini Dei nostri super nos, et opera manuun nostrarum dirige super nos ,

et opus manuum nostrarum dirige.

PSALMO XC.

De David.

Laus cantici David (.).

(1) Qui habitat in adjutorio Al. lissimi, in protectione Dei cæli commorabitur.

UEM habita no asylo que Deos presta, Quem descança na protecção do Altissimo, Do Deos dos Ceos, em paz mora na terra,

Por deserta que seja.

Diz ao Senhor: «Tu és o meu refugio,
Meu Deos, meu Protector; já desses laços
D'infernaes caçadores me livraste,

E d'asperas sentenças:

(2) Dicet Domino: Susceptor meus es tu, et refugium meum, Deus meus ; sperabo in eum.

(3) Quoniam ipse liberavit me de laqueo venantiam, et à verbo aspero.

(4) Scapulis suis obumbravit ti. bi, et sub pennis ejus sperabis.

« Espero em ti...) - Responde: « Ah! sim, confia; Descança a sombra com que te defendem Minhas azas e plumas protectoras,

Que piedosas te encobrem.»

(5) Sculo circumdabit te verilas ejus : non timebis à timore noce turno :

Ha de a verdade, qual um broquel d'ouro,
Cercar-te, se inimigos te assaltarem;
Nem virá sossobrar-te o animo affouto

Intriga tenebrosa.

(*) No texto não teve titulo esle psalmo, a respeito do qual se exprime Simão de Muis pela maneira seguinte : Profecto hoc carmine nihil neque solidius, neque splendidius non dico scribi, sed ne cogitari quidem potest. Atque utinam ego figuras, numeros, et elegantiam Hebræi sermonis exprimere possem! Sperarem profecto concessuros mihi omnes, nullum Græcum, aul Latinum poema huic esse comparandum.

(6) A sagilta volante in die, à Nem a setta, que ousada ás claras voa, ab incursu, et dæmonio meridiano. Ou perigos que em trevas o ar empestam,

Nem genio máo, do abysmo despachado,

Te ha de attiogir potente.

[ocr errors]

(7) Cadent à latere tuo mille, Verás derrubar mil junto a teu lado, ci decem millia à dextris tuis, ad Cahirão mais dez mil á tua dextra; te autem non appropinquabit.

Defendido por Deos, irás contente,

Salvo, e longe da morte.

torum videbis.

(8) Verumtamen oculis tuis con- Talvez que em troco observes com teus olbos siderabis, et retributionem pecca- Como Deus justiceiro retribue

Aos peccadores o suror insano

De seus iniquos feitos.

(9) Quoniam tu es, Domine, spes Dirás então: «Senhor! minha esperança!
mra: Altissimum posuisti refu-
gium tuum.

Doce refugio meu! E com que acerto
O Altissimo escolhi para conforto !... )

Com que affecto replica !

(10) Non accedet ad te malum, «A torrente do mal irá fugindo ci Nugellum non appropinquabit ta- Em distancia de ti: o teu asylo bernaculo tuo.

Será pelos flagellos respeitado,

Não ousarão tocar-lhe.

(11) Quoniam Angelis suis man- « Farei descer dos ceos brilhantes Anjos, davit de te, ut custodiant le in omnibus viis tuis.

Que te guardem, que aplanem teus caminhos; (12) In manibus portabunt te, Que pela mão te levem, e que evitem ne forte offendas ad lapidem pe

Escolhos a teus passos. dem tuum,

(13) Super aspidem et basilis. rum ambulabis, et conculcabis leo. icm et draconem.

« Amoroso e sollicito cuidado Permittirá que os basiliscos calques ; Que pises com teus pés leões e dragos,

Sem que oflender-le possam.

a Porque esperaste em mim, é que piedoso
Te livrei d'ioimigos turbulentos;
Porque o meu sancto nome conheceste

Te hei de proteger sempre.

(14) Quoniam in me speravit, liberabo eum ; protegam eum, quoniam cognovil nomen meum.

«Quando a voz levantares, hei de ouvir-te,
E na tribulação acompanbar-te;
Hei de salvar-te, porque em mim confias,

Hei de glorificar-te.

(15) Clamabit ad me, et ego exaudiam eum : cum ipso sum in tribulatione : eripiam eum, et glori. ficabo eum.

(16) Longitudine dierum replebo eum, et ostendam illi salulare

meum.

« De prolongados dias satisfeito,
Te levarei á patria afortunada,
A ver o Salvador, gozar da gloria

Aos justos promettida.»

PSALMO XCI.

Psalmo para cantar-se no dia de sabbado.

Psalmus cantici in die

sabbathi (.).

(1) Bonum est confiteri Domino, et psallere nomini tuo, Allissime.

COMO

é bom festejar o Deos supremo, Do Altissimo cantar o sancto nome! Ou largue o sol nascendo as ondas trémulas,

Ou nas aguas s'esconda, Ouça-me celebrar tanta piedade, Misericordia, e lúcida verdade.

(2) Ad annuntiandum mane misericordiam tuam, et verilatem tuam per noctem.

() Aqui observa Mattei que na segunda compilação depois do regresso de Babylonia distribuiram-se os psalmos pelas varias seslas, e varios dias do anno, porque não podiam cantar-se no templo sem alguma ordem, e d'isso devia haver um calendario, onde este psalmo estivesse designado para tal dia ; sem que obsle o não acbarmos uma semelhante distincção em todos os mais, porque nós não possuimos o codice do lemplo, onde certamente se havia de encontrar, e donde alguns copistas mais diligentes copiaram os titulos historicos, os titulos musicos, outros os lithurgicos e rituaes, e outros unicamente o psalmo, pouco Ibe importando com aquelles accessorios.

(3) In decachordo psalterio, cum Ao meu psalterio e cithara suave cantico, in cithara.

Hymnos se ajustem quaes os Anjos cantam

Gratos, Senhor! Publiquem tua gloria ; (4) Quin delcclasli me, Domi.

Publiquem a delicia ne, in factura tua, ilim operibus Com que ao ver tuas obras me deleitas,

Obras das tuas mãos, todas perfeitas.

(5) Quam magnificata sunt ope. Mas quem póde sondar a excelsa causa ra lua, Domine! nimis profundæ De obras tão grandes! Tantas maravilhas faclæ sunt cogituliones luæ.

Deixam estupefacta a mente humana.

Que profundos juizos
As leis que tudo regem combinaram,
E a formação dos mundos decretaram!

(6) Vir insipiens non cognoscet, Só nescios lhes não lembra

que

a verdura el stultus non intelliget luc.

De seus annos se murcha, e breve passa;

Que os frivolos prazeres em que vivem (7) Cum exorti fuerint peccalo

Lhes vão gastando a vida; res, sicul fanum, et apparuerint omnes, qui operantur iniquitatem. Que esta, qual feno ao fogo, desfallece,

E nunca mais seu vico reverdece.

Å verdade indiff'rentes, não lh' importam
Nem dos astros a luz, nem da materia
As propriedades, que submette a ordem

Divina intelligencia :
Desprezam essas leis por onde existem,
E em criminosa estupidez persistem.

(A) Ut intereant in sæculum saculi : tu autem dltissimus in wler. num, ,

Domine.

Tudo perdem os máos, e só alcançam
Seculos de

pezar.

A Deos somente
Não offendem os damnos da mudança,

Nem o tempo consome:
Nada lhe falta, de algum bem carece;
Immutavel, eterno permanece.

« AnteriorContinuar »